NOTA: Sindepo se manifesta sobre entrevista do Secretário da Casa Civil do GDF

/, Notícias/NOTA: Sindepo se manifesta sobre entrevista do Secretário da Casa Civil do GDF

NOTA: Sindepo se manifesta sobre entrevista do Secretário da Casa Civil do GDF

By | 2017-10-03T12:23:42+00:00 terça-feira, 3 de outubro, 2017|Inicio, Notícias|0 Comentários

“Sérgio Sampaio citou como exemplo negativo a jornada de trabalho dos policiais civis em 6 horas por dia. Tal afirmação gerou perplexidade”.

NOTA 

Nessa noite, 02 de outubro de 2017, fomos surpreendidos com uma entrevista do Secretário da Casa Civil do DF, Sérgio Sampaio, na qual mais uma vez imputa aos servidores públicos do DF a responsabilidade pela crise financeira vivida por nossa sociedade local. Na ocasião, de forma leviana, cita como exemplo negativo a jornada de trabalho dos policiais civis em 6 horas por dia.

Tal afirmação, contudo, gera perplexidade sob várias perspectivas:

1)      É absolutamente falsa e desafiamos o Secretário a apresentar os fundamentos legais de sua afirmação.

2)      O regime de 30 horas semanais, ou seja, de 6 horas por dia útil malgrado não aplicado à PCDF é a regra no GDF, prevista no art. 57, caput, da Lei Complementar 840/2011 (Regime Jurídico dos Servidores do DF), sendo acintoso citar como exemplo negativo as carreiras da PCDF que têm uma das maiores e mais sacrificantes jornadas de trabalho do DF!!!!!

3)      Revela o absoluto desconhecimento do Secretário em relação ao serviço policial e suas vicissitudes, que não é desempenhado apenas de forma burocrática atrás de mesas e balcões, e sim nas ruas, em diligências, operações policiais nas noites e madrugadas, investigações durante as 24 horas e em regime de plantão, mesmo não tendo direito à remuneração diferenciada por serviço noturno.

4)      É de conhecimento público que os servidores da PCDF foram os únicos que não tiveram reajuste nos últimos anos e enfrentam perdas inflacionárias de mais de 50%, refletindo na diminuição em percentual da nossa participação nas despesas com pessoal.

Nesse cenário, a eleição dos servidores da Polícia Civil do DF como vilões da suposta crise financeira é extremamente desrespeitosa e acintosa, prestando-se apenas como forma de justificar o constrangimento público pelo reiterado descumprimento dos compromissos assumidos pelo GDF conosco.

Por fim, importa salientar que o GDF precisa se libertar do discurso da crise financeira, pois, somente esse ano, já conseguiu mais de R$ 1 bilhão de reais com a União (devolução de créditos com o INSS e contribuição patronal da PCDF) e se desincumbir do alegado déficit mensal de R$ 170 milhões da previdência dos servidores do DF, que, por si só, supera o déficit público do DF e permite o cumprimento das promessas do Governador. Desse modo, a manutenção do discurso do “copo meio vazio”, além de não ser crível, presta-se apenas para fustigar os servidores, fomentar pessimismo na economia local e diminuir o consumo.

A Diretoria
Sindepo DF
Foto: Internet

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário